Cuidados pré e pós-operatórios da reconstrução do Ligamento Cruzado Posterior

Cuidados antes da cirurgia:

O ideal no momento da cirurgia é que o joelho tenha boa mobilidade, sem edema (inchaço) volumoso. Além disso, quanto melhor a condição da musculatura do membro antes da cirurgia, melhor será a recuperação após a mesma. Por este motivo, é interessante, porém não fundamental, um trabalho de fortalecimento com fisioterapeuta ou em academia, dependendo do paciente. Pacientes com perda de mobilidade após a lesão devem realizar trabalho de ganho de mobilidade com fisioterapia antes da cirurgia.

  • Dia anterior à cirurgia: É necessário jejum de 8 horas para alimentos e líquidos. Água pode ser ingerida até 4 horas antes, depois não mais. É indicado evitar ingestão de alimentos muito pesados na noite anterior, como feijoada, carne gordurosa em grande quantidade, e evitar bebidas alcoólicas. É proibido o uso de drogas na semana anterior à cirurgia por risco de interações com os anestésicos usados no momento da cirurgia. A internação pode ser no dia da cirurgia, 3 horas antes, ou no dia anterior, dependendo do Hospital.
  • Levar ao Hospital: Documento pessoal (CNH ou RG), carteirinha do plano de saúde e exames pré-operatórios (exames de sangue, radiografias, ressonância magnética, etc.). Muletas podem ser levadas ou adquiridas após a cirurgia, pois no hospital será realizada fisioterapia com treino de marcha com muletas, e a equipe de fisioterapia dos Hospitais tem muletas e andadores disponíveis para utilizar no momento do treino de marcha. Imobilizador de joelho longo (cruromaleolar) é necessário logo após a cirurgia, portanto é interessante levá-lo. A maioria dos hospitais tem este tipo de imobilizador no centro cirúrgico, porém em algumas situações não são autorizados pelo plano de saúde, e são cobrados. Não é necessário nenhum tipo de carta de internação, apenas o documento pessoal.
  • Medicações de uso contínuo (hipertensão, diabetes, tireóide, colesterol…) devem ser utilizadas normalmente. Outros medicamentos, devem ser discutidos com o médico previamente se devem ser descontinuados ou não. Limpeza do membro e retirada dos pelos são realizadas na sala cirúrgica imediatamente antes da cirurgia ou no quarto de internação pela equipe de enfermagem.

Cuidados após a cirurgia:

  • Dia da cirurgia: Ao chegar ao quarto, medicações analgésicas são aplicadas. O membro deve permanecer imobilizado. Gelo a cada 2 horas por 20 minutos é interessante para diminuir a dor e processo inflamatório. Tal cuidado é realizado pela equipe de enfermagem. Ida ao banheiro é permitida, desde que o paciente tenha segurança para o deslocamento com muletas ou andador. Geralmente no dia da cirurgia, o paciente acaba não indo ao banheiro sozinho, somente com auxílio da enfermagem. Neste dia geralmente não realiza-se fisioterapia, porém desde a saída do centro cirúrgico, é importante movimentar o pé, simulando acelerar e desacelerar o pedal de um carro.
  • Um dia após a cirurgia: realiza-se a primeira sessão de fisioterapia, com treino de marcha com muletas ou andador, exercícios isométricos e flexão passiva do joelho até 90 graus. Quando deixado dreno na articulação, o mesmo é retirado pelo cirurgião, apenas o tracionando (tal procedimento não causa dor, apenas leve desconforto em alguns pacientes).
  • Alta Hospitalar: ocorre no dia seguinte à cirurgia ou em casos especiais, no segundo dia. As medicações para dor, prevenção de infecção e de trombose são orientadas conforme necessidade no momento da alta, pelo cirurgião. São também orientados os exercícios e cuidado gerais no domicílio.
  • Curativo: permanece ocluído com curativo impermeável por uma semana, momento do retorno ao consultório. Por ser impermeável, é possível tomar banho sem necessidade de cobrir o curativo. No retorno com 1 semana da cirurgia, é trocado o curativo, colocado novo curativo impermeável, e o mesmo é retirado com 14 dias da cirurgia, dia em que são retirados os pontos.
  • Muletas: geralmente utiliza-se de auxílio para andar (muletas) por 4 a 6 semanas, mesmo período que será utilizado o imobilizador. Em lesões exclusivas do ligamento cruzado posterior (LCP), o período de imobilização é de 4 semanas. Em lesões combinadas do LCP com outros ligamentos (cruzado anterior, canto posterolateral e colateral medial), o tempo de muletas e imobilizador é maior, de 6 a 8 semanas dependendo das lesões.
  • Dirigir automóveis: recomenda-se não dirigir enquanto o joelho estiver imobilizado. Após este período, no momento em que o paciente sinta segurança e confiança para dirigir, o mesmo é autorizado. No caso de joelho esquerdo, se o carro for automático, 1 semana após a cirurgia já está apto a dirigir.
  • Fisioterapia após a alta: É fundamental a realização de fisioterapia após a cirurgia, sendo iniciada já no primeiro dia após a cirurgia. Devido ao período de integração do enxerto, existem exercícios que são permitidos e outros não, e ao longo da reabilitação, conforme o passar das semanas, novos exercícios são introduzidos. É importante que o fisioterapeuta tenha experiência e conhecimento dos protocolos de reabilitação para uma boa recuperação e para não ocasionar lesões no enxerto. De forma geral, o paciente inicia a fisioterapia na semana seguinte. Fica com imobilização, utilizando muletas. Inicialmente, a ênfase é no ganho de mobilidade do joelho, analgesia e exercícios isométricos. Ao final do primeiro mês, o paciente deve fletir o joelho 90 graus, e após este período, ganha-se mais flexão dia após dia. Após o segundo mês, os exercícios são intensificados, e após o quarto mês, a ênfase é no fortalecimento final e nos exercícios de propriocepção (treino de equilíbrio). Academia sem supervisão e corrida são autorizadas geralmente após o quarto mês da cirurgia. Após 6 a 8 meses, estando a musculatura semelhante ao outro membro, e a propriocepção (equilíbrio) restaurada, o paciente estará apto a retornar à sua prática esportiva.
WhatsApp chat